Mês: dezembro 2018

Águia Fertilizantes apresenta EIA/RIMA do Projeto Fosfato Três Estradas

Águia Fertilizantes apresenta EIA/RIMA do Projeto Fosfato Três Estradas

A Águia Fertilizantes disponibiliza a comunidade os de Estudos de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto no Meio Ambiente (RIMA).  Para desenvolver tais estudos foram envolvidos dezenas de profissionais de diferentes formações, como biólogos, engenheiros, sociólogos, geólogos, historiadores, entre outros, com o objetivo de fazer o mais completo estudo e panorama da região, mapeando os impactos para a sociedade, para a flora, para a fauna e para as comunidades do entorno. Estes estudos, que fazem parte do processo para emissão da licença prévia, apontaram para a viabilidade ambiental do empreendimento. 

Saiba os próximos passos após a licença prévia

Após receber a licença prévia o empreendimento precisa cumprir outras duas fases de licenciamento antes de iniciar a operação:

Licença de Instalação – autoriza o início da instalação do empreendimento de acordo com as especificações constantes dos projetos e dos planos e programas e aprovados. Neste momento não é autorizada, ainda, a operação do empreendimento.

Licença de Operação – autoriza a operação do empreendimento, após a verificação do efetivo cumprimento das exigências das licenças anteriores (LP e LI), bem como do adequado funcionamento das medidas de controle ambiental e demais condicionantes determinadas para a operação.

Saiba o que é EIA/RIMA:

O EIA é um documento de natureza técnica e científica que identifica e avalia, a partir das características do projeto e da área onde se pretende implantá-las, os impactos negativos e positivos que serão gerados pelo empreendimento.

O RIMA, por sua vez, é um documento que acompanha o EIA e apresenta uma síntese do documento técnico em uma linguagem mais acessível, ilustrada com figuras, mapas, gráficos e tabelas, de maneira a facilitar o entendimento de todos os interessados sobre as vantagens e desvantagens do projeto, bem como sobre suas consequências para o meio ambiente.

Clique para fazer o download dos arquivos:

EIA

RIMA

Complemento

Mineração e o Meio Ambiente

Mineração e o Meio Ambiente

A história do Brasil e a da mineração se entrelaçam em diversos momentos. São séculos desta atividade que impulsiona o Brasil como um dos maiores produtores de minérios do mundo.

De acordo com pesquisas do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), a produção nacional para exportação de minérios deve crescer 2,5% neste ano, ante 2017,para 410 milhões de toneladas.

Mudanças e evoluções no segmento apontam para caminhos novos ao empreender: mais envolvimento social, tecnologia e inovação investidas na proteção ambiental e na conservação da biodiversidade. Desenvolvimento sustentável é um elemento essencial para a indústria de mineração e metais.

No início dos anos 90 o Rio de Janeiro recebeu uma Conferência da Organização das Nações Unidas para tratar sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. A ECO-92 como tornou-se mundialmente conhecida define biodiversidade como a “variabilidade entre organismos vivos provenientes de todas as fontes, incluindo, entre outros, os ecossistemas terrestres, marinhos e outros de natureza aquática e os complexos ecológicos dos quais esses ecossistemas fazem parte; isso inclui a diversidade das espécies entre si, entre espécies diferentes e de ecossistemas.

Sabemos que preservar essa biodiversidade é manter o planeta habitável e a vida humana possível. E, portanto, mais do que as considerações éticas ou morais, cada vez mais as empresas mineradoras tornam o tema como uma das políticas corporativas.

Uma boa gestão da biodiversidade pode trazer benefícios como o aumento da confiança e lealdade do investidor, ciclos de permissão mais curtos e menos contenciosos,como resultado de melhores relacionamentos com as agências reguladoras e melhoria da relação com a comunidade, já que são estes os interessados diretos.

É importante que os interessados diretos tenham acesso ao entendimento das interfaces entre mineração e biodiversidade e sobre a avaliação dos impactos negativos em potencial. Essa informação é oriunda do Relatório de Impacto Ambiental que é realizado através de uma empresa terceirizada que avalia os meios, medidas de mitigação e/ou iniciativas de conservação da biodiversidade, incluindo o respeito à cultura local,  costumes e valores, desenvolvimento social, econômico e institucional das comunidades.

O ciclo de vida de uma mina compreende também o período de fechamento e recuperação do local onde o empreendimento é instalado. Portanto, o minerador tem a obrigação de implantar o plano de recuperação de área degradada pela atividade previamente aprovado pelo órgão ambiental competente, que contempla ouso futuro da área de influência da mina, após o fechamento da mesma.

Existem diversos casos que se tornaram verdadeiros ícones da recuperação do meio-ambiente. Um exemplo é a Alemanha, que tem ampla experiência sobre o tema e que mostram que depois do projeto mineral esgotado, há futuro para os habitantes das regiões que possivelmente sejam afetadas.

A Águia Fertilizantes vem realizando este tipo de prática em seu estilo de trabalhar e produzir. O que mostra que há uma preocupação da participação e interação com a comunidade e entidades que possam tornar o projeto um potencial de desenvolvimento na região, não apenas do ponto de vista econômico, mas também social.

Como exemplo disso é que mesmo com a cicatriz temporária na superfície do solo, inevitavelmente ocasionada pela escavação da mina, os benefícios serão infinitamente maiores já que proporcionarão fertilidade a uma grande área de terra. Com o aumento da produtividade diminuirá a necessidade de mais desmatamento, portanto o tamanho da área de plantio poderá ser menor com a mesma produção.

Ong do Olaria realiza Festa de Natal para crianças do Bairro.

Ong do Olaria realiza Festa de Natal para crianças do Bairro.


A Águia Fertilizantes participou no domingo (16), às 17h, da Festa de Natal e final de ano realizada pelo Grupo de Amigos Cantinho da Ong, no Ginásio do Bairro Olaria. A festa este ano teve apresentação do Coral da Comunidade e um Presépio. Foram servidos bolo e suco, além da tão aguardada chegada do Papai Noel e distribuição de presentes.


O Grupo de Amigos Cantinho da Ong realiza trabalho voluntário desde 1999 em Lavras do Sul e anualmente reúne amigos e parceiros para a chegada do “bom velinho”.

O gerente de geologia do Projeto Fosfato Três Estradas, José Fanton avalia que a participação da equipe do Projeto em iniciativas como esta é fundamental. O trabalho voluntário, aliado ao apoio das forças sociais e empresariais das cidades são capazes de trazer grandes mudanças positivas às pessoas e as regiões. “Nosso apoio é importante mas não se compara ao que ganhamos em retribuição: carinho, aprendizados e laços com uma cidade que tem sido especial para as pessoas que trabalham no Projeto”.

Gente de Lavras – NATAL OURO

Gente de Lavras – NATAL OURO

Natal,época do ano dedicada às reuniões familiares, troca de presentes e desejos de felicidade para o ano que está prestes a iniciar. Natal é época também, e principalmente, de ser solidário, de pensar no próximo e de fazer o “bem sem ver a quem”.

Em Lavras do Sul, mãos voluntárias estão trabalhando desde o mês de julho na confecção do Natal Ouro. Em meio a muitas garrafas PET recebidas de doação da comunidade, tesouras, fios, arames e muito brilho, 12 voluntários se reuniram semanalmente durante os últimos cinco meses e trabalharam para deixar a festa natalina ainda mais deslumbrante. Sempre as segundas e terças-feiras, mães, avós, donas de casa e trabalhadoras de todas as áreas dedicavam algumas horas do seu dia para colaborar com o embelezamento deste projeto.

A ornamentação do Natal Ouro foi confeccionada de forma sustentável e agora enfeita a rua Dr. Pires Porto e a Praça das Bandeiras. A Águia Fertilizantes colaborou com a doação das luzes natalinas

Segundo Sandra Gonçalves, umas das voluntárias, é gratificante poder contribuir na confecção da decoração do evento. “Eu adoro reciclagem e trabalhar neste projeto significou muito para mim. Porque além de ajudar a embelezar a cidade, ainda estamos ajudando o meio ambiente, reutilizando o material que iria para o lixo.”

 Artesã de mão cheia e já reconhecida na cidade, Sandra conta que trabalhar em grupo é sempre muito bom. “Essa equipe do Natal Ouro é maravilhosa. Temos muitos projetos para o ano que vem e convidamos a comunidade a se juntar à nossa turma”.

Para a Secretária de Planejamento Mica Nobre Machado, umas das coordenadoras do Projeto ao lado de Thaís Lopes de Souza, do Centro de Referência de Assistência Social, o projeto tem vários significados para Lavras do Sul. “A maior importância, além do embelezamento, é despertar o compromisso com a nossa cidade, zelar por ela, usando todas as forças vivas e a comunidade para atingir esses objetivos.”

No dia 30 de novembro aconteceu o primeiro evento organizado pela turma e já foi um sucesso. No dia 01 de dezembro a chegada do Papai Noel encantou a população pelas ruas da cidade. E nem mesmo o frio da noite lavrense afastou a comunidade, que se fez presente na Praça das Bandeiras para prestigiar este maravilhoso trabalho.

Como voluntária Sandra conta que pra ela ver tudo pronto e ver que com pouco puderam fazer tanto é a maior recompensa. “Ver o sorriso das crianças é ter a certeza que podemos ter uma esperança de dias melhores.”

Rosinha Machado, outra das voluntárias, conta que acredita muito nos jovens da cidade. “Embora tenhamos jovens ociosos e que depredam a cidade, temos aqueles que elevam a nossa terra. É um desafio, mas acredito que a partir de agora teremos nossa cidade mais cuidada.”

Ela diz que está acostumada a participar dos eventos da Igreja Matriz, mas que participar da confecção do Natal Ouro foi um desafio. “A equipe foi formada e pegou parelho em todas as pontas. Foi maravilhoso, então espero que a população nos ajude a cuidar e ano que vem venham mais voluntários.”

No dia 8 de dezembro aconteceu a Cantata de Natal, mais um evento vinculado ao Natal Ouro. Foram vários corais e cantores em uma emocionante noite.

Rosinha conta que a recompensa em ser voluntária é ter a cidade embelezada e cuidada. “Ver que nosso propósito deu certo e que está sendo bem aceito pela comunidade. Agora só falta colocar o Chafariz em funcionamento, aí nosso projeto fecha com chave de ouro.”

No dia 15 de dezembro o Natal Ouro traz para os munícipes o Natal Dançante. Uma festa na Praça das Bandeiras com Grupos de Danças, escolas e CTGs da cidade.

Alice Prestes, extensionista da Emater, e uma das organizadoras das oficinas fala que sempre defende que é preciso investir na educação para a valorização do lugar em que vivemos e para bater de frente com a contracultura do vandalismo. “Quando recebi o convite para contribuir com o Projeto vi uma oportunidade de abordar esse tema através do cuidado com a nossa cidade. Afinal, quem ama cuida e quem cuida aprende a amar” e conclui: “sugeri um tema e um título que tivessem identificação com Lavras”.

Para fechar os eventos, no dia 22 as artesãs do município se reúnem durante todo o sábado para vender seus produtos feitos à mão, também na Praça das Bandeiras.

Para Alice a maior recompensa é ver que as pessoas estão gostando do que foi feito. “Também comemoro o que já considero uma vitória: nada ainda foi depredado.”

“Temos a certeza que a cada ano que vier o Natal Ouro será mais lindo” finaliza Alice.

Equipe da Águia participa do lançamento de estudos geológicos da CPRM

Equipe da Águia participa do lançamento de estudos geológicos da CPRM

Na tarde da última segunda-feira, 10 de dezembro, na Farsul, a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais – Serviços Geológicos (CPRM) apresentou publicamente estudos geológicos que investigam potencialidades e identificam recursos minerais no Estado do Rio Grande do Sul. Na ocasião a empresa apresentou notas explicativas das Folhas Bagé e Santa Maria e o Informe Levantamento Geoquímico do Escudo do Estado.

Este levantamento amplia dados para prospecção de metais base (cobre, chumbo, zinco, etc.), preciosos (ouro, prata, etc.) e agrominerais (fósforo, potássio, nitrogênio, etc.) na região de Lavras do Sul, que já possui tradicionalmente exploração mineral.

A equipe de geologia da Águia Fertilizantes esteve presente no evento para conhecer os estudos que apontam que a mineração é um segmento estratégico para a economia do Estado e que o Rio Grande do Sul tem a vocação para o setor.

A CPRM apresentou mais de 70 relatórios à comunidade geológica contendo detalhado trabalho que poderá fomentar novas pesquisas, projetos e negócios, abrindo diversas oportunidades para o Estado do RS.

Estiveram presentes no evento professores, pesquisadores, empresários, representantes da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) e Agência Nacional de Mineração.

Águia Fertilizantes apoia e participa da OvinoFest 2018

Águia Fertilizantes apoia e participa da OvinoFest 2018

Durante os dias 30 de novembro e 1º de dezembro a Águia Fertilizantes participou da OvinoFest 2018, em Lavras do Sul. O evento organizado pela Ala Jovem do Sindicato Rural tem como propósito fomentar e valorizar a ovinocultura e a cultura local, proporcionando ao público as maravilhas do “Ouro Branco de Lavras”.

Durante os dois dias de festa os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer desde a criação até a gastronomia no setor da ovinocultura com concurso de carcaças ovinas, concurso de churrasco, feira de ovinos e pela primeira vez um concurso de linguiça ovina.

Este ano o gerente de geologia do Projeto Fosfato, José Fanton, foi um dos jurados do concurso de Churrasco com carne de cordeiro e acredita que participar deste tipo de evento é fundamental para a empresa. “Temos relação direta com o trabalho do campo e estar próximo das atividades da cidade permite com que os cidadãos lavrenses se informem e se integrem ao projeto” comenta.

O lucro do evento é todo revertido à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e Fundação Médica Hospitalar Dr. Honor Teixeira daCosta. O Sindicato Rural acredita que mais de 400 pessoas transitaram no Parque durante os dois dias de evento e a arrecadação, entre o concurso e leilão de carcaças, e a Feira de Ovinos, foi de R$ 321.639,50.