Mês: abril 2020

Mineração e sua importância no setor de imunização

De acordo com Akira Homma, pesquisador e ex-presidente da Fundação Oswaldo Cruz, com exceção da água potável, nenhuma outra variante, nem mesmo os antibióticos, foram capazes de produzir um efeito tão importante na redução da mortalidade e crescimento da população como as vacinas.

Elas agem sobre o sistema imunológico do indivíduo fazendo com que ele desenvolva anticorpos e crie defesas contra diversas doenças e, por isso são consideradas essenciais para a saúde pública.

O momento em que estamos vivendo nos trouxe ainda mais interesse sobre o setor e saber mais sobre ele é essencial para entender sua importância. Você sabe o que são adjuvantes?

Um adjuvante é acrescentado às vacinas para aumentar a resposta de imunização e em alguns casos apenas com o uso deles pode-se garantir a eficácia da vacina. Presente em muitas vacinas como adjuvante, na forma de hidróxido, fosfato ou hidroxifosfato de alumínio, o alumínio é um item importantíssimo para as indústrias da saúde.

O uso da mineração também está presente nas embalagens, tanto de medicamentos quanto das vacinas. O Alumínio, por exemplo, pode ser encontrado na embalagem flexível (chamada de blister) e em embalagens de utensílios esterilizados.

Negar a necessidade da mineração é negar nossos padrões de vida atuais. Não há mais como pensar no mundo sem a utilização dos bens minerais.

Mineração e Indústria Farmacêutica

As terapias medicamentosas evoluiram muito lentamente por séculos, com registros imprecisos e incompletos de onde teriam se originado. Porém os primeiros registros da medicina são do Egito Antigo, com fórmulas e procedimentos cirúrgicos, combinando conhecimentos de remédios e fórmulas tidas como “mágicas”.

Como antigamente, ainda vemos muitos medicamentos de origem botânica, mas é inegável que a indústria farmacêutica está presente na vida de quase a totalidade dos cidadãos do mundo. Em algum momento todos nós já recorremos a caixinha de medicamentos de casa, mas será que alguma vez já paramos para pensar o que está contido em cada cápsula que ingerimos?

Além de possuírem diversas outras aplicações, as substâncias advindas da indústria mineral também estão presentes em boa parte dos medicamentos na indústria farmacêutica, tais como: o Cálcio, o Magnésio, o Sódio, o Fósforo e o Zinco.

A indústria farmacêutica demanda substâncias de elevada pureza e o volume consumido, comparado a outros setores industriais, é relativamente pequeno.

No caso do calcário brasileiro apenas 0,01% é investido em produtos farmacêuticos e veterinários.

A calcita é um carbonato de cálcio (CaCO3) natural que ocorre como principal constituinte do calcário, uma rocha abundante e recorrente na superfície terrestre. O carbonato de cálcio proveniente da calcita é utilizado como fármaco em medicamentos antiácidos, antidiarreicos e suplementos minerais, todos administrados via oral, seja na forma de pó (capsulas), seja como sólidos (comprimidos) ou na forma líquida (xarope).

O medicamento mais comentado nas últimas semanas é a Cloroquina. Ele é usado no tratamento da malária e ocasionalmente no tratamento de amebíase, artrite e lúpus, e está sendo testado de forma experimental no tratamento de infecções pelo novo coronavírus (Covid-19). Em sua química está presente o difosfato, um pó branco, amargo e solúvel em água. A mineração de fosfato envolve a extração de minérios contendo compostos químicos ricos em substâncias com íon fosfato. Estes minérios variam na sua composição, e diferentes variedades de rocha fosfática requerem inúmeras técnicas de mineração.

Em Lavras do Sul a Águia Fertilizantes obteve há poucos meses a Licença Prévia (LP) para explorar Fosfato na região das Três Estradas. O projeto agora está em processo de obtenção da Licença de Instalação (LI).

Serviços essenciais: Mineração

Quando falamos em serviços essenciais logo nos lembramos de saúde, alimentação e saneamento básico (água, luz e esgoto). O que não reparamos é que todos eles dependem de um: a mineração.

Conhecida como a “indústria das indústrias” o setor também está tendo impactos importantes com a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

De acordo com o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) a indústria da mineração segue cumprindo seu papel de produzir minérios essenciais para a sociedade, mesmo neste momento mais sensível causado pela propagação do vírus. Porém, com o avanço da doença no País, as empresas têm reduzido efetivos e sido obrigadas a evitar aglomerações, entre outras medidas para conter o coronavírus entre seus funcionários.

Dados divulgados pelo Ministério da Economia mostram que o Brasil registrou um superávit comercial de US$ 3,096 bilhões em fevereiro, valor melhor do que o esperado. Entre os responsáveis aparece a exportação de cobre. E apesar do Ministério ainda não ter divulgado projeções para 2020 há indicações de piora em relação à 2019, devido principalmente a pandemia do coronavírus.

O Cobre ao lado de outros minerais como Zinco, Ouro, Latão, entre outros, está presente nos componentes de fabricação dos respiradores elétricos e outros equipamentos hospitalares, tão necessários para pacientes infectados pelo Covid-19.

Mineração e Agricultura em tempos de pandemia

A mineração dos agrominerais (NPK) é fundamental para manter ativa toda a cadeia produtiva da agricultura. Com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que impactou de maneira geral o mundo, um alerta ascendeu às discussões sobre o tema.

Ainda que não seja diretamente um serviço essencial à vida, a mineração completa as cadeias produtivas que movem todas as demais atividades do país e deve, com a mesma responsabilidade que os outros setores, continuar funcionando com todas as determinações da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) as empresas de mineração vem tomando as medidas preventivas como o trabalho em home office para funcionários das áreas administrativas, cuidado redobrado com higiene dos funcionários e uso de EPIs e mantido in loco apenas os empregados que são ligados a operação de extração das substâncias e nestes casos mantendo a distância mínima entre os funcionários.

Em junho de 2019 o diretor-presidente do Serviço Geológico do Brasil, Esteves Colnagro, afirmou em Seminário sobre remineralizadores de solos que a mineração e a agricultura caminham lado a lado: “A CPRM tem intensificado a prospecção de insumos para fertilizantes agrícolas (fósforo e potássio), como parte de iniciativas que visam reverter a elevada dependência de importações desses insumos”, explicou.

De acordo com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI) interromper a produção de um determinado insumo pode quebrar cadeias inteiras de fornecimento e o setor está empenhado em encontrar soluções para manter o abastecimento.