Como fica a economia mundial pós pandemia?

Os efeitos econômicos de uma pandemia são diversos e entender isso é importante para se preparar. Não temos ainda como mensurar quais serão os resultados ao final deste momento, mas olhando os números que apresentam os economistas já podemos ter alguma ideia.

Com o surto do novo coronavírus – o covid-19 – e todos os seus impactos a economia do mundo deverá crescer em sua menor taxa desde 2009. De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) não se via nada parecido desde a grande crise de 2008.

Em novembro de 2019 as previsões eram de que o crescimento global seria de algo em torno de 2,9% em 2020. Porém, dependendo do tempo de duração do surto especialistas já falam em um crescimento de apenas 1,5% neste ano.

Você já deve ter ouvido falar que a Bolsa de Valores brasileira entrou em circuit breaker nos últimos dias por pelo menos cinco vezes. Este termo inglês é utilizado para dizer que todas as negociações foram paradas após o Ibovespa cair mais de 10%.

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, afirmou esta semana que quase todas as grandes economias do mundo, entrarão, nos próximos meses, em recessão. Ele acredita que o declínio econômico é inevitável por ao menos dois trimestres.

Ainda não dá para mensurar os danos econômicos, mas já sabemos que a economia mundial está comprometida e que os mercados do mundo inteiro estão em crise e registram bilhões de dólares em valores perdidos. Então, de que forma gerenciar esta crise sem que haja danos maiores do que já vemos na saúde das populações?

Acreditamos que a cada nova informação sobre a pandemia, os especialistas terão que rever as definições para o futuro, mensurar quais as medidas mais urgentes e dar suporte para os empreendedores que, de uma forma ou de outra, irão sofrer os impactos desta pandemia.