Gente de Lavras – Sávio Silveira

A aposentadoria não é sinal de parar no tempo, e especialistas afirmam que esse é um momento para cuidar mais de si mesmo. Mas para algumas pessoas a aposentadoria significa realizar sonhos que não puderam ser realizados em outras épocas.

Para Sávio Silveira, lavrense e bancário aposentado, foram dois os motivos para buscar uma formação acadêmica. O primeiro, ter conseguido formar os cinco filhos, e o segundo, uma quase “tradição familiar”: a paixão pelo Direito.

Como bancário, Sávio morou em diversas cidades, mas o sonho de voltar para Lavras do Sul sempre existiu. “O retorno para Lavras já era programado. A nossa ideia, minha e da Tia Dema (Dra. Dema Silveira) minha maior incentivadora – era que eu voltasse para cá assim que terminasse uma especialização, e nós trabalhássemos juntos. Inclusive o logotipo que uso foi ela que escolheu. Mas infelizmente Deus não quis assim. No meio do curso, ela faleceu.”

Então, somente em 2014 este retorno aconteceu. Convidado para ser Assessor Jurídico da Câmara de Vereadores, foi um pulo para começar a aparecer a clientela para o advogado. “Acabei encerrando minha participação na Câmara e abri o escritório. Graças a Deus deu tudo certo, e a gente tem uma atividade bastante intensa.”

Além de Sávio, mais dois advogados compõem o escritório: Maurício Abascal e Manuela Teixeira, ambos jovens advogados, lavrenses e que, segundo ele, foram escolhidos devido a uma grande afinidade. “Eu acho que um dos polos motivadores dessa minha insistência em lutar para que Lavras se desenvolva e surjam mais oportunidades no mercado de trabalho tem muito a ver com essa decepção de não poder ter os filhos aqui ao meu lado. Então, se eu não consegui, quero que o pessoal de Lavras hoje tenha essa oportunidade.”

Além de empreender montando o escritório de advocacia, Sávio atualmente preside a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Lavras do Sul. A CICS iniciou suas atividades em outubro de 2018 e chegou para unir o comércio local. “Lavras precisa ter representatividade, não apenas as formais, como prefeito e vereadores, mas a sociedade civil deve ter alguém que lute por ela; e eu vejo a CICS como um elemento chave para que se tenha essa representatividade.”

Segundo Sávio, atualmente a secretária executiva da instituição notifica de 10 a 12 novas adesões por semana. “Pontuamos três metas principais. A primeira é o plano de saúde para os servidores do comércio local; a segunda, um controle de inadimplência; e a terceira, que acredito significar para este momento a mais importante, é o treinamento pessoal.”

Já está previsto no orçamento municipal para este ano de 2019 uma verba para contratação de cursos para a comunidade. “Fui procurado pelo vereador Eduardo Luongo, que ofereceu a oportunidade de ser colocada no orçamento do município uma verba para treinamento. Já obtivemos uma lista de cursos, quanto custaria, mas ainda não fechamos.”

Sávio analisa que este momento é muito importante para nossa cidade. “Acho que precisamos de uma conscientização bem ampla de que essa é a nossa grande oportunidade.” Ele se mostra bastante entusiasmado com a possibilidade real da chegada de grandes empreendimentos, tanto na mineração, quanto com relação à energia eólica, e pontua a necessidade de todos estarem preparados para não deixar o cavalo passar encilhado sem sabermos montar. “Meu pai faleceu há mais de 30 anos, e eu me lembro de uma conversa dele com um geólogo, garantindo que logo haveria uma empresa estabelecida em Lavras; então entendo o pé atrás das pessoas. Mas estou muito otimista e, junto com muitas outras pessoas, fazendo a minha parte.”