perguntas frequentes

O Projeto Fosfato Três Estradas abrange estruturas diferentes conforme a fase em que estiver operando. Durante a 1ª fase, além da cava, será construída uma planta para a elaboração de um produto natural de aplicação direta. Na 2ª fase, quando o minério em rocha fresca será beneficiado e o calcário agrícola será produzido as estruturas são um pouco mais complexas: Planta de Beneficiamento, Cava, Pilhas de Estéril, Barragem para armazenamento de Calcário Agrícola, Barragem de Água e acessos.

A Águia Fertilizantes está desde 2011 atuando em pesquisas minerais na região de Lavras do Sul. Estas atividades confirmaram a presença do minério de fosfato em quantidade e qualidade que justificam a implantação de uma mina na localidade das Três Estradas. A implantação deste tipo de empreendimento depende de vários estudos e autorizações que podem levar anos para sua concretização. Durante o trabalho inicial realizado para o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto do Meio Ambiente (RIMA), havia uma projeção de operação de 15 anos no local, com a revisão estima-se que a operação seja de 63 anos. Na fase 1, de 17 anos, na qual somente o minério oxidado será beneficiado. A fase 2, de 19 anos, em que o minério em rocha fresca será beneficiado e o calcário agrícola será produzido. E na fase 3, de 27 anos, quando haverá a secagem e venda do calcário agrícola depositado na barragem. Nessa fase não haverá mais a produção do minério de fosfato.

Até o início da operação da mina, o projeto passa por três grandes etapas: planejamento, implantação e operação, Para cada uma delas são necessárias licenças dos governos Federal, Estadual e Municipal.

O Projeto Fosfato Três Estradas acaba de obter a Licença Prévia (LP) e com isso fechamos o ciclo do planejamento. Entramos agora na fase de implantação, no intuito de obter a Licença de Instalação (LI). Para conquistá-la, o empreendimento deve apresentar estudos de viabilidade e projetos de engenharia detalhados ao órgão ambiental.

Por fim, entra-se na fase de operação. Para que este momento aconteça, o Projeto Fosfato Três Estradas precisa da Licença de Operação (LO), que também é emitida pela Fepam. Nesta fase é desenvolvida a pré-operação, a operação de atividade de mineração e posteriormente o fechamento, etapa que envolve muitas ações da empresa, com acompanhamento governamental e público.

Qualquer atividade humana gera impacto para o meio ambiente, o que não é diferente nos projetos de mineração. Porém, os estudos ambientais servem para detectar possíveis impactos positivos e negativos, e estes já foram identificados e constam no EIA/RIMA do Projeto Fosfato Três Estradas. Para os impactos negativos são propostos planos e programas de controle, mitigação ou compensação, visando estabelecer o equilíbrio durante a implantação das obras, no período de operação do projeto e após sua finalização.

Todas as informações constam no EIA/RIMA

A Águia Fertilizantes é uma empresa responsável, que se preocupa com o meio ambiente e segue rigorosamente as recomendações legais do país. Toda atividade de mineração tem plano de instalação e também plano de fechamento da mina. A área envolvida à comunidade será recuperada do ponto de vista estrutural e ambiental e a maneira como isso ocorrerá dependerá do projeto final das instalações (por exemplo, o tamanhos das estruturas e as atividades públicas e privadas desenvolvidas no entorno). Além disso, o plano deve ser desenvolvido em conjunto com a comunidade, atendendo as demandas da região.

Na medida em que os estudos evoluem as mudanças tendem a ser mais sutis e sem grande redirecionamento. Apenas pequenos ajustes que são esperados e devem ocorrer tanto nessa fase de planejamento quanto durante toda a vida do projeto.

A atividade de mineração costuma desenvolver as cidades onde se instala, não somente pelas vagas de emprego diretas, mas pelas oportunidades de criação de novos negócios (produtos e serviços), que precisarão ser gerados para atender a demanda gerada por um empreendimento de grande porte. Portanto, além de potencializar os negócios que já existem na região, novos poderão se instalar, oferecendo serviços de comércio, gastronomia, hotelaria, transporte, entre outros.

Estima-se que durante a fase de implantação das obras serão mobilizadas centenas de pessoas para trabalhos temporários, gerando pelo menos três empregos diretos para cada emprego direto, superando a marca de 900 pessoas beneficiadas.

 

A prioridade da Águia Fertilizantes é contratar profissionais de Lavras do Sul e região, por entender que estes trabalhadores já estão imersos na cultura local e poderão ficar próximos de suas famílias. As cidades de Bagé, Caçapava do Sul, Santa Maria, São Gabriel, Dom Pedrito e Pelotas possuem diversos cursos de graduação e especialização que serão importantes para suprir as necessidades de mão de obra, inclusive daqueles relacionados à engenharia e geologia, que estão mais diretamente ligados ao empreendimento.

A Águia Fertilizantes proporcionará cursos técnicos e de capacitação para aqueles que forem trabalhar na operação ou serviços diretos do empreendimento. Em geral, entre três e seis meses antes do início da operação da mina os profissionais selecionados serão capacitados em diversas áreas. No entanto, sempre que possível, é importante que cada profissional interessado em trabalhar no empreendimento, se preocupe com a própria necessidade de qualificação, buscando cursos e formações proporcionadas em sua região a partir de sindicatos, SESI, Prefeitura, etc. Isso os ajudará na habilitação das vagas que irão surgir.

Sempre que novos eventos forem marcados pela Águia Fertilizantes, a divulgação se dará pelos canais de comunicação já conhecidos (site, e-mail, telefone e facebook).

No momento não há processos seletivos em curso e todos os currículos enviados são arquivados no Banco de Talentos da empresa. Mas sempre que houver a necessidade de contratação, tanto na fase atual, quanto em fases futuras, a empresa fará uma divulgação das oportunidades, a fim de que o maior número de interessados possa participar. Os currículos podem ser enviados para os nossos contatos de e-mail ou entregues em nosso escritório em Lavras do Sul.

A Águia Fertilizantes possui um formulário de cadastro para as empresas que desejam se tornar fornecedoras. O primeiro passo para realizar este procedimento é entrar em contato pelo e-mail contato@projetofosfato.com.br com o nome da empresa, CNPJ e um telefone para contato.

Não é desejo da Águia Fertilizantes, nem faz parte da política de relacionamento da empresa, fazer negociações ou ações que deixem as pessoas desamparadas. Sabemos que os proprietários de terras na região passarão por mudanças nas suas vidas e rotinas, seja saindo do local ou permanecendo como vizinhos do empreendimento. Por isso, cada caso será estudado e negociado diretamente com os proprietários e moradores locais.

O maior resíduo gerado pela mineração de fosfato é o calcário calcítico. Visto que é um produto de interesse na agricultura e na nutrição animal, este será comercializado como um produto. Na segunda fase do Projeto Fosfato Três Estradas, o calcário calcítico excedente que não for negociado de imediato será depositado em uma barragem temporariamente, pois será retomado e preparado para a venda após a finalização da operação da mina de fosfato. Também serão dispostos nessa barragem, os rejeitos do processo de concentração do fosfato. Estes serão gerados em quantidades bem inferiores, se comparadas com o volume de calcário calcítico, e permanecerão na barragem após o final da operação da mina. Porém, não há nenhum risco de contaminação à saúde humana, nem ao meio ambiente, pois estes rejeitos não são contaminados.

Durante a elaboração dos Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto do Meio Ambiente (EIA/RIMA) este tema e parâmetros foram estabelecidos e deverão ser cumpridos pela empresa durante toda a vida do Projeto Fosfato Três Estradas.

A valorização de imóveis depende de questões mercadológicas, e estão fora do nosso controle. Entretanto, não há qualquer tipo de impacto negativo identificado e apontado no EIA/RIMA que esteja sinalizando este risco.

A mineração de fosfato não vai causar ou produzir qualquer tipo de contaminação que possa prejudicar ou impedir qualquer tipo de produção na região. Além disso, o produto de aplicação direta que será elaborado e comercializado pelo Projeto Fosfato Três Estradas, na primeira fase do empreendimento, chegará ao produtor Lavrense com maior facilidade e poderá se tornar um aliado no desenvolvimento das cadeias produtivas locais e que já operam ao longo de diversas gerações.

A construção e operação de uma barragem é sempre uma atividade que traz riscos. Entretanto, faz-se necessário esclarecer que os acidentes que ocorreram recentemente estão relacionados a estruturas construídas com técnicas pouco seguras, que já não são aceitas para novos projetos e não atendem à legislação em vigor sobre segurança de barragens. Portanto, essa barragem, que só será necessária na segunda fase do Projeto Fosfato Três Estradas e será do tipo a jusante, atenderá todos os requisitos de segurança em vigor atualmente com o objetivo de proporcionar uma gestão eficiente evitando a ocorrência de catástrofes.

A mineração de fosfato não vai causar ou produzir qualquer tipo de contaminação que possa prejudicar ou impedir qualquer tipo de produção na região. Será compatível com produções de excelência, tanto na pecuária quanto na agricultura.

Além disso, com o interesse e apoio de todos os setores envolvidos, a Águia pode tornar-se parceira para auxiliar no desenvolvimento das cadeias produtivas locais que já operam ao longo de diversas gerações a fim de torná-las ainda melhores, mais qualificadas e com condições de competir igualmente nos melhores mercados consumidores mundiais.

A Águia Fertilizantes tem o objetivo de desenvolver, implantar e operar o projeto fosfato três estradas no município de Lavras do Sul. Outros alvos potenciais de minério de fosfato também são objetos de pesquisa da Águia Fertilizantes. Existe ainda, a Águia Metais que, diferente da Águia Fertilizantes, tem o objetivo de realizar pesquisa com foco em minerais metálicos.

Atualmente, a Águia Metais possui base de pesquisa para minerais metálicos implantada no município de Caçapava do Sul.